Presidente

MARCOS MAURO PENA FILHO


Presidente do Sinduscon

O que fazer quando se enfrenta uma adversidade? Primeiro, não desesperar nunca. Somos capazes de superar todas as dificuldades. Precisamos apenas de tempo para compreender, inteligência para buscar o caminho certo, e coragem para seguir em frente.

Estas palavras acima são baseadas em depoimentos do papa Francisco e muito pertinentes ao nosso momento. Superação é a palavra de ordem para nós mesmos, para nossas entidades e para o segmento da construção civil.

A crise atual tem sido caracterizada como a mais aguda de todos os tempos, pois traz consigo fatores que a tornam mais impactante, por não ser apenas econômica, mas também moral e ética.

Corrupção, desvio de recursos, dissimulação, são atos que condizem com a pequena estatura moral de quem os praticou. Como consequência, experimentamos em nosso cotidiano a insegurança quanto ao futuro, e a incerteza quanto à credibilidade de nossas instituições.

O quadro local recebeu um duro impacto quando nossa entidade foi exposta publicamente de forma infundada e inconsequente. Isso poderia acarretar em descrédito, em desesperança e na paralisação do setor. Mas não, isso não se verificou!

Buscamos todas as ações cabíveis para restaurarmos a credibilidade, sem, entretanto, interrompermos a nossa responsabilidade como indutores de práticas cada vez mais saudáveis e produtivas na engenharia.

Temos a convicção de que somos maiores do que qualquer obstáculo que se apresente em nosso caminho, porque somos cidadãos de bem e continuamos querendo a construção de uma sociedade mais justa.

Somos um País rico, não apenas em recursos naturais, mas principalmente em recursos humanos. Recursos esses que, explorados com competência, ética e integridade moral, vão nos permitir virar o jogo e atingir a superação.

Encontramos na construção civil muitos motivos para afirmar, com segurança, que nos sobra capacidade para trabalhar e superar as dificuldades.

Apesar do momento de crise que o setor enfrenta, o que percebemos é o entusiasmo em buscar os meios necessários para que sejamos mais produtivos, mais rentáveis e mais eficazes.

E é aí que o Prêmio Sinduscon desempenha o seu principal papel, propondo uma mudança de cultura, sistêmica, contínua e sólida ao longo do tempo. Faz-se necessário maior profissionalismo, mais planejamento, adesão e implantação de novas ferramentas tecnológicas e processos construtivos adequados a cada realidade.

Reiterando: essas iniciativas, aliadas a uma conduta guiada pela ética e transparência, vão nos levar de volta aos trilhos do desenvolvimento e da dignidade.

O comprometimento das empresas que participam do Prêmio com as práticas por ele propostas, demonstram que o nosso setor tem plena consciência do papel que desempenhamos no mundo atual e naquele que queremos deixar para as futuras gerações.

Porque os efeitos dessas práticas não se restringem a um melhor desempenho de cada empresa agora, mas resultam na construção de uma mentalidade de que somos resultado de nossas ações, e que, portanto, se plantarmos boas sementes, podemos ter certeza de uma boa colheita.

Para cada receio, a fé renovada! Para cada obstáculo, a certeza de um novo recomeço. Aqueles que perpetuam ou publicam a mentira, terão a resposta certa ao seu devido tempo.