Publicidade

Publicado em 29/05/2020

Informalidade na construção cai 16% na região Noroeste

Em números reais, isso significa que no período 486 operários tiveram as carteiras de trabalho assinadas

Informalidade na construção cai 16% na região Noroeste

A média histórica do índice de informalidade entre os trabalhadores da construção civil da região Noroeste era de 40%. Em janeiro de 2019 o Comitê de Incentivo à Formalidade deu início a uma série de ações, que reduziu essa estatística para 24%, após 12 meses de trabalho. Em números reais, isso significa que no período 486 operários tiveram as carteiras de trabalho assinadas, elevando o número de 1.868 formalizados para 2.354. 


No início dos trabalhos, o Crea-PR e o Sinduscon-PR encontraram 1.227 atuações sem registro em carteira nem contrato assinado. Deste total, 836 eram pessoas físicas e 391, pessoas jurídicas. 
Para reduzir as irregularidades no segmento, o engenheiro civil Djalma Bonini Júnior, facilitador da fiscalização do Crea-PR, explica que as visitas e as pós-visitas às obras são planejadas. “Fazemos vistorias mensais, além de atender às denúncias e às situações de acidentes em obras”, ressalta. O trabalho é realizado por uma equipe do comitê, que também recebe informações das prefeituras, Ministérios Públicos do Trabalho, entre outros órgãos. Eles verificam mais de 80 itens, que compõem um check-list do comitê. 


Durante as vistorias são detectadas outras irregularidades, como a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), de responsável técnico e ausência da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Em muitos casos são assinados Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) com os responsáveis pelos empreendimentos.

Fonte: Assessoria de imprensa Sinduscon-PR/NOROESTE

Publicidade

Veja também!

premiumART web sistemas