Publicado em 30/09/2022 às 17:44

61

Pré-incubação do Engenium Park tem dez novos projetos

Dez equipes de alunos da UniCV, que participaram do Ideathon Cidades Inteligentes, no último mês, agora recebem apoio e orientação para transformar ideias em negócios. Os grupos foram selecionados durante a maratona de criação de soluções, que contou com 260 inscritos, para dar um passo a mais, com a participação no programa de pré-incubação do Engenium Park, hub de inovação do setor da construção civil, vinculado ao Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon/PR-Noroeste) e Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Maringá (AEAM). 

Com as ideias que nasceram no Ideathon, as equipes, compostas por alunos de nove cursos da UniCV, começaram o processo de pré-incubação com o workshop “Desafio, mercado e oportunidades”, realizado no Smart Space, ambiente de inovação do centro universitário. Os demais encontros serão no Engenium Park, com programação que inclui oficina de design thinking, mentorias, conteúdo sobre estratégias de negócios e, entre outras atividades, até o Demoday, quando os grupos poderão apresentar seus projetos para um público formado por lideranças e executivos do mercado, bem como para possíveis investidores. 

Neste, que é o quarto ciclo de pré-incubação do hub de inovação, a jornada será de três meses. O objetivo é que os alunos recebam respaldo suficiente para criarem um MVP – produto mínimo viável, que materializa os projetos. 

Um dos times, batizado de ‘Participa Maringá’, é formado por Jônatas Luiz Alves Dias (Engenharia Civil); Micheli Nascimento Ferreira (Arquitetura e Urbanismo), Henrique Rodrigues da Silva de Oliveira (Engenharia de Software), Natalia Santos Silva (Análise e Desenvolvimento de Sistemas); Igor Ribeiro Guimarães (Engenharia de Software) e Pedro Banzatto (Análise e Desenvolvimento de Sistemas).  

“No ideathon, precisávamos criar uma solução para melhorar problemas da cidade. Pensamos em um aplicativo que possibilitasse ao cidadão cadastrar uma árvore ou novas que fossem plantadas, com base em normas públicas municipais. Além disso, funcionaria para denúncias de perigo de queda de árvores e aviso de necessidade de poda. O contato entre cidadãos e poder público seria direto via app. Estamos na expectativa de consolidar o projeto a partir do apoio que vamos receber durante a pré-incubação”, explica Natalia Santos Silva. 

Oportunidades

Segundo a gestora executiva do Engenium Park, Aline Cruz, ações de fomento ao empreendedorismo, tecnologia e inovação são fundamentais para estimular conexões entre diferentes áreas e habilidades, promovendo talentos e a geração de oportunidades. “A proposta contempla a cadeia da construção civil e abrange os impactos sentidos pelos cidadãos e meio ambiente. No programa de desenvolvimento de negócios do hub, os alunos vão amadurecer as ideias sob o tema Cidades Inteligentes, podendo modelar soluções que têm condições de ser absorvidas pelo mercado ou pelo poder público”, comenta. 

Para o professor André Dias Martins, coordenador dos cursos de Tecnologia e Inovação na UniCV, a parceria entre universidade, governo e mercado permite a troca de experiências e a possibilidade de um ambiente favorável à produção de inovações, além das capacitações e outros incentivos ao empreendedorismo, o que é fundamental para os alunos experimentarem a prática da vida profissional. “Ter uma boa ideia é importante, mas são as pessoas que fazem acontecer. Programas como esse promovem conexão com docentes, técnicos, empreendedores, pesquisadores, público que vem buscando apoio de incubadoras como terão nessa fase, no Engenium Park. O networking e os conceitos de negócios são importantes para a revelação de alunos com potencial empreendedor”, ressalta o professor.

Legenda: Equipe de Natalia Santos Silva, que desenvolveu um aplicativo voltado para cadastro de árvores pelos cidadãos

Sua privacidade é importante para o Sindicato Da Indústria Da Construção Civil Do Paraná Região Noroeste – Sinduscon-PR/Noroeste.